sábado, 10 de abril de 2010

Terapia grupal é mais eficiente?


E aí Zé, tudo numa boa?

Comigo tudo ótimo!

Andei vendo umas coisas, participando de outras, sabendo de outras, etc...

Entendeu nada, né amigo?

Pois é...  mas aqui, me explica uma coisa Zé: porque tem gente que não se satisfaz em namorar(casar, et all) só com uma pessoa? 

Nesse mundo, cada vez mais individualista, que parece querer nos levar a uma foz comum, que é a da solidão auto-suficiente, parece que remar contra essa maré é(para alguns "tantos") buscar o que falta em si em uma (ou mais de uma) pessoa(s).

O lance é não ficar sozinho. Mas, o contraditório é que as pessoas arrumam cada vez mais pessoas, mas no frigir dos ovos, estão cada vez mais vazias e ausentes de si mesmas. Vão buscando "lascas" nos outros de coisas que deveriam já ter consigo.

Quer que eu exemplifique, Zé?

Exemplos diminuem tanto o leque de possibilidades... mas já que você insiste:

Você (não você né Zé, mas algum fulano de tal), é uma pessoa insegura e de auto-estima baixa... então busca alguém pra "encher esse copo" em você. Daí suga até a última gota de néctar dessa pessoa...  dá um pé na bunda dela, ou então vai acumulando pessoas. Pega Fulana, mais Ciclana, mais a Clotilde e vai fazendo o cordão...

Sou bem antiquado... sou mesmo Zé. Ainda acredito no amor, mesmo não tendo a certeza se encontrei ele em algum desencontro dessa vida de mô Deuso. Acredito também na monogamia. Tá vendo como tô ultrapassado demais da conta?

Até o pé-de-moleque que eu como tem hífen. É mole? 

Já vou indo...  vou guardar minha boca pra comer minha farinha, não é melhor Zé?

Bração prô cê, meu amigo!

Inté, Zé!

9 comentários:

Glaucia disse...

Oi Alvim, você faz associações que me encantam, essa aqui é genial: "Tá vendo como tô ultrapassado demais da conta?
Até o pé-de-moleque que eu como tem hífen. É mole?", adorei!
Eu acho bem interessante você dividir com a gente as conversas com seu "grilo falante". (grilo falante era a consciência do pinóquio,lembra?).
Abraço e bejins!

Alvim Dias disse...

Glaucia ( eu sempre acentuo a primeira letra "a" do seu nome... daí, quando reviso eu tiro...rs)

Vc não sabe o quanto é bom ler seus comentários por aqui... me dão maior força.

Obrigado mesmo querida!

Anônimo disse...

acredito em amor verdadeiro, e quero sim, ser de uma pessoa só...

butterfly disse...

terapia grupal é pra quem nunca amou verdadeiramente..quando amar, vai saber que a pessoa amada é unica...

Alvim Dias disse...

Anônimo/butterfly:

acredito que a "Terapia Grupal" é útil mas pra quem não SE ama de verdade.

Dar a responsabilidade da felicidade pra outra(s) pessoa é um fardo muito grande, tanto que nem a pessoa conseguiu carregar.

Abração e obrigado pelas visitas!

§ynara disse...

Oi Alvim,

Li hoje uma frase assim: Você prefere estar certo ou prefere ser feliz?

Penso que cada um da sua maneira está buscando somente ser feliz.

Tem muitos homens e mulheres que não se conhecem. O problema que vejo é passar por este monte de situações sem reflexão, só por passar. E como diz um amigo, acabar sempre tomando bomba.

O colocar a responsabilidade da nossa própria vida nas mãos do outro, é uma furada com certeza. Digo isto por experiência própria (já superada - rsss)

O que eu observo é o seguinte: cada pessoa que passa por nossa vida pode acrescentar ou não alguma coisa. As que eu me aproximo por livre escolha sempre acrescentam e não está nas minhas mãos determinar o mesmo na vida delas. Torço sempre para acontecer. E nem sei se temos como medir quem recebeu mais e quem doou mais.

Não sou radical a ponto de achar que todos nós já deveríamos estar prontos. É assim quando nos tornamos pais, quando começamos a namorar ou casamos, quando saímos da faculdade ou assumimos um trabalho.

O criador nos fez seres com capacidades latentes infinitas, nos personalizou demais e não mandou manual. Aí cada um fica por aí batendo cabeça, aprendendo algumas coisas, ignorando outras.

Mas...

Olhando por um outro ângulo você descreve no seu post um comportamento tradicional também.

Explico: o quê você descreve é um comportamento tipicamente masculino. A troca frequente de parceiras, o colecionar conquistas, a busca pela variedade. Isto é fato.

No fim, será que estamos só repetindo comportamentos tradicionais nesta época dita moderna?

Como sempre blasfemando demais né?

Eu gosto de pensar a partir da sua conversa com o Zé.

Forte Abraço

§ynara

Thuany Freitas disse...

Creio num único amor de dois corações. Sou amante à moda antiga.
Acho que as pessoas (estou falando de monogamia, rsrs)se unem porque querem somar, e não por qualquer coisa em troca, a não ser o fundamento do próprio sentimento.
Pensar na matença de um relacionamento visando o lucro é egoísta e mesquinho demais, porque não basta a idéia de 'se aproveitar' da pessoa, mas a consequência do ato, qual seja, magoá-la.
Seja lá como for, entre encontros e desencontros uma hora ou outra, a gente acha alguém que pensa o mesmo que a gente...
Parabéns pelo blog, Alvim, mande lembranças ao Zé.

Alvim Dias disse...

Synara e Thuany

fiquei muito feliz em vê-las por aqui.

Quero só lembrar q não falei que todos somos assim (colecionam amores pra tapar buracos em si), apenas quis falar sobre as pessoas que são assim.

Um grande beijo meu e do Zé!

Um grande

=) disse...

Cada um tem seu jeito de pensar , de agir . .Nessa questão de sentimentos , acredito muito. E quanto ao AMOR , eu penso que quando se ama de verdade não se precisa de outro alguém , e não existe distancia ou problemas que façam esse amor acabar. Eu li em um livro essa semana, que dizia o significado do termo RESPONSABILIDADE , e ele defini esse termo como, se empenhar em uma escolha sua ( mais ou menos assim ). Então , se você está com uma pessoa , é por que você quer . Não precisa de procurar outra pessoa além dessa,tem que ser fiel e sem contar que traição é ridículo .