domingo, 28 de dezembro de 2008

Ahh é? Quem falou?

"O grande perigo para o mundo moderno é a facilidade das pessoas em aceitar as idéias gerais que pairam à nossa volta. Elas são tão influentes na vida das pessoas, que são repetidas sem análise, irrefletidamente, por pessoas que não sabem o que realmente querem dizer com elas."  David Livingstone



E aí Zé, tudo jóia?

Comecei nossa prosa hoje com esta citação, pois foi uma das mais gratas surpresas que tive, ao assistir a TV por estes dias.

Mas, não é que é verdade mesmo?

Neste blog, já mencionei, por algumas vezes, sobre estas "idéias gerais" que pairam à nossa volta. Quem as invetou? E, uma pergunta melhor ainda: Porque são propagadas?

Conceituar é a base do pensamento humano. Disto não há dúvidas. Desde criança aprendemos a dar nomes e a saber para que as coisas servem, do que são feitas, etc.

Mas porque será que conceituamos e tomamos por verdades experiências e conclusões alheias?

Sabe, odeio a idéia de colocar "rótulos" nas pessoas, ainda mais quando o faço sem nem conhecê-las direito. Mas num mundo tão perigoso e individualista que vivemos, como sair dessa armadilha?

Em uma discussão com uma pessoa de São Paulo, via msn, discutimos estas questões. Ela mencionou que uma saída seria a de aceitarmos tudo do jeito que é, sem questionamentos maiores, sem rótulos. É uma idéia, mas será que é viável?
Aceitar algo do jeito que é, quer queira, quer não queira, é um tipo de rotulação. Como essa "coisa" é? Com a resposta, colocará um conceito sobre tal, ou seja, um rótulo.

Sabe, constantemente sou surpreendido com mudanças em meus conceitos. Que bom que está sendo assim!Sabe Zé, dou sempre margem de erro a tudo, até aos supostos "inimigos". Olha mais um rótulo aí...rsNinguém é totalmente mal e ninguém é totalmente bom. Somos humanos, passíveis de erros. Até quem mais amo pode errar comigo, não pode?
Então. Temos que amadurecer e aprender a diferenciar os nossos conceitos sobre coisas/pessoas, do que elas realmente são. 

E o que elas realmente são?

Ahhh, meu caro Zé, isso você e nem ninguém NUNCA saberá completamente.

Um grande abraço

Inté, Zé!



segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Você optou por ser normal?





E aí Zé, tudo firme qui ném prego no angú?

Comigo tudo beleuza!

Ortografia à parte, tudo bem! (Ortografia? O que é isso? É de comer?)

O que me conta de novo?

Nada?

Aff...

Aqui, já percebeu o quanto somos engessados?

Como assim, engessados?

A famosa rotina, que falo tanto aqui na nossa prosa, nos deixa parecidos a cavalos puxadores de carroça!

Achou minha comparação exagerada?

Né não Zé!

Óia pro cê vê:

Estamos tão preocupados com nossas responsabilidades:

- estudos
- trabalho
- contas
- dívidas
- e onde arrumar dinheiro pra tudo

Que acabamos por olhar apenas para o que está a frente do nosso nariz!

(dãããm, é claro que só olhamos para o que está a frente do nosso nariz, ele não sái de lá! ow!)

Zé, não vou nem comentar sua piada, acho que me entendeu né?

Quantas vezes você olha pro céu durante o dia?

Perguntinha que parece besta né?

Mas, somos piores que "mulas de carga", pois elas não olham pois são irracionais e
tem uma "tapadeira" que as impedem de ver além do que os "donos" querem!

E nós?

Esquecemos o quanto o mundo é maior do que o nosso próprio mundo!

Esquecemos o quanto é bom olhar para as outras pessoas, ver o quanto são lindas as criaturas de Deus, a natureza dá testemunho de Deus.
Esquecemos de pensar em futilidades... de fazermos bem a nós mesmos, fazendo coisas diferentes das que inércia diária nos proporciona.

Olhar pro céu nos dá a dimensão de o quão pequeninos sós somos, e saber disso acho que amedronta muita gente.

Vejam o exemplo de quando Galileu afirmou que a Terra não era o centro do universo, mas um simples planeta a girar numa órbita a volta de uma estrela,
o sol, foi duramente criticado. Tão severamente criticado que em troca de ser poupado de pena rigorosa, optou por colocar sua "tapadeira de mula" retratando-se.

Somos, por natureza, egocêntricos, e qualquer coisa que nos tire disso é, no mínimo, inquietante.

Sabe Zé, eu tenho minhas "tapadeiras" sim, mas sempre fujo disto. Tem muita gente que me acha maluco. Mas, sempre busco recusar ser "forjado" feito aço em brasa
pelos grilhões da sociedade, de toda essa coersão social que nos dita o famigerado: "NORMAL".

O que é NORMAL? O que é ser NORMAL? Você é normal? É bom para quem ser normal? E porquê? E porquê? E porquê?


"E se me achar esquisita,respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar.; Eu não sou promíscua.
Mas sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro.;
Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento. Renda-se como eu me rendi. Mergulhe no
que você não conhece como eu mergulhei. Eu sou uma pergunta.; ...
passava o resto do dia representando com obediência o papel de ser." Clarice Linspector




Um grande abraço, que Deus nos abençoe

Inté, Zé!

sábado, 15 de novembro de 2008

Dinheiro vivo!




Seu Zé, tudo bão demais?

Por quê "Seu Zé"? Pensei em milhares de respostas que podessem levar a uma abstração bem "cult", mas na realidade não teve nenhuma intenção maior na referência a você. Foi só pra variar.

rs

Sabe Zé, as vezes pensava no porque de sua existência. Cada dia mais vejo que você é um elo de reencontro comigo mesmo. É doidura demais, né não?

Pois é, mas tenho uma colega de faculdade que me relatou algo que fiquei pensando nisso por dias. "Cé" é meu parceiro! Xô contá pro cê":

Marlete (codinome), minha colega, disse-me que brigou com seu namorado porque ele mentiu para ela. Até aí tudo bem, realmente mentir é dose! Mas, veja só a situação:

ele, o namorado, estava sentado em frente à sua casa, pensando na vida, na morte da bezerra, enfim, no que ele queria pensar! Eis que Marlete liga para o celular dele, ouve os barulhos da rua e pergunta onde ele está. Ele, prontamente, responde que está no quarto vendo televisão!
Aí a briga tá pronta! Ela o indaga horas e horas o porque ele mentiu para ela. E, em todas as brigas sequentes este vira um grande argumento (onde está "argumento" lêsse MUNIÇÃO) para que ela use "contra" ele.

Zé, sabe porque ele mentiu?

Ele mentiu porque ELA não gosta que ele fique em frente de casa parado, pensando na vida, pois ELA não vê utilidade nessa atitude dele. Daí você pode estar se perguntando, assim como eu me perguntei: mas quem tem que achar utilidade nas atitudes dele, não seria óbvio que é ele próprio?

A Relação agora saiu do patamar de compartilhamento de destinos, para o de "uso capião" de vidas.

Desculpe o palavrão, mas PUTA MERDA! Não estou discutindo o realcionamento dos dois como um todo, quem sou eu para isso! Existem muitos outros erros em AMBAS as partes... mas, por quê o coitado do rapaz não pode ficar em frente a casa dele e fazendo o que ele bem entender? Aí, entra o sentimento dele em relação a ela, que o faz mentir. Mas este sentimento é medo ou amor?

Para mim é medo!

Mas, ancorada em pessoas que dão razão a ela, Marlete ainda acha corretíssima sua atitude, pois não vê nenhum sentido no namorado ficar em frente de casa, pensando na vida. Mas é claro que ela não vê utilidade nele pensar na vida que já não é mais dele, é DELA!

Ela tá certa né? Das coisas DELA, cuida ela, não é mesmo Zé?

rsrsrs

Pois é, voltando as "vacas-frias", estava eu te contando o porque da sua existência. Para mim, escrever para você é me reencontrar comigo mesmo. A rotina nos consome, nos faz esquecer o quanto que pensar em coisas imateriais nos faz falta. Pensar em nós mesmos, nas nossas atitudes, nos nossos sentimentos, e até mesmo nas outras pessoas como seres frágeis, passíveis de erros.

Atualmente Zé, tudo é em volta do dinheiro! Tudo que fazemos ou pensamos em fazer é algo que seja para ganhar dinheiro!

- Faculdade (Para quê eu quero uma profissão? Ganhar dinheiro!)
- Estágio no DER/MG (Para quê eu estagio lá? Ganhar dinheiro! Experiência no curriculum? Para quê eu quero experiência no meu curriculum? Ganhar dinheiro!)
- Como pagar a faculdade mês que vêm? Preciso de dinheiro!
- Construir uma casa? Dinheiro!
- Poder continuar vivendo nela? Dá-lhe dinheiro pro IPTU!
- Água, luz, etc? Dinheiro!
- Alimentação? Dinheiro!
- Gasolina e peças pro carro? Dinheiro!
- Poder continuar usando o carro que comprou? Dinheiro pro IPVA!
- Roupas, calçados, etc? Dinheiro!
- Entretenimento? Dinheiro!
- Sair com alguma "paquera"? Dinheiro!
- etc....etc...etc?



Utilizarei, mais uma vez da Marlete como referencia a minha fala:

- A mãe dela comentou, numa roda de conversa sobre receber ou não receber flores, que prefere mil vezes o dinheiro gasto para passear num shopping do que recebe algo que logo morrerá!

Sabe o que a Marlete pensa disso? Concordou plenamente, em gênero, número e grau!

aff...

Zé, meu amigo, você é minha ligação com o que resta de "vivo" em mim.

E não duvidem da minha masculinidade, senão levaram porrada!

kkk





kkk

Abração pro cê!

Inté, Zé!



sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Boiando na boiada



Faaaaaaaaaaala Zé!

Oscilante, mas de pé. É assim que a boiada anda, quando o pasto tá pouco!

Fiote, tô dando uma de "Bombeiro hidráulico", cridita? ... kkk
É um nome mais bonitinho para encanador.

Na hora das dificuldades é que descobrimos o quão repletos de alternativas o ser humano é.
Já se viu em apuros onde sua única alternativa é você mesmo?
Pois é companheiro*, é o olho do dono que engorda a boiada. Tentei não usar mais frases feitas, mas desisti disso, elas me acompanham e estarão sempre comigo, aqui na nossa prosa e no cotidiano.

Cotidiano, rotina, dia-a-dia, parecem-lhe ruins estas expressões? Depende. Aliás, tudo na vida depende, subjetividade relativa.

Para mim a rotina é algo que me ajuda a cobrir as arestas que não quero aparar momentaneamente. Pensar demais, engessa a vida e pensar de menos dá pra "ir levando" sem dor, ou melhor, sem consciência da dor existente.

Dizem-me que uma hora ou outra essa receita desanda...

Eu vou "levando" até onde der...

Bração pro cê

Inté, Zé!




terça-feira, 22 de julho de 2008

De bem com a vida!


Zé, meu querido Zé!

Venho, através desta, me desculpar com "vancê"!

Amigo, to em falta, eu sei, mas minha ausência se deve a minha decisão de não poluir vossos ouvidos com minhas lamúrias pessoais...rs

Tenho tido apenas estas para prosear... e eu sei o quando ouvir(ler) somente lamúrias de outras pessoas é chato pra KCT!

Minha vida tá boa. O diabo não é tão feito o quanto se pinta não, mas aumentar as coisas dá um "tchan", né não? kkk

Rapaz, sobre essa história de aumentar as coisas (kkk), já reparou o quanto o povo aumenta tudo?
A vida, os políticos, as leis, enfim... tudo está sempre muito ruim!

! Se você tá desempregado, tá ruim.
! Se você tá empregado, o chefe, o salário, a empresa...etc...são ruins.
! O cara que é o presidente da república, é ruim.
! Depois que o seu candidato é eleito, acaba sendo ruim também.
! Se morre muita gente por causa do álcool nas estradas, falta lei.
! Se criam lei pra isso, todo mundo reclama, portanto é ruim.

Putz! Foram só alguns exemplos de como somos sempre insatisfeitos com alguma coisa (ou com muitas, ao mesmo tempo).

Em outra postagem minha, aqui mesmo no "Inté, Zé!" falo sobre enxergar as coisas por outro ângulo. Acho que é essa a solução. Se você quiser sofrer, sempre existirão motivos para te fazer sentir assim no mundo, do mesmo jeito que se você optar por sempre olhar pelo lado positivo e otimista da vida, você sempre poderá ser uma pessoa ...

DE BEM COM A VIDA!!!

Um abração prô cê, sujeito!

Inté, Zé!

terça-feira, 10 de junho de 2008

Quem tem a ver?



Zé, bão?

Eu tô, cada vez mais superficial, mas to bêm...rs

Uma das pessoas, vítimas de meus bombardeios costumeiros da atualidade, disse-me isso:
"o mundo não tem nada a ver com isso" (L. P.)

Eu tô respeitando uma distância que foi imposta, mas "atiro" nas pessoas que não tem nada a ver com isso. Acho que meus "ataques" são uma forma de descontar e externar o que sinto por ter sido alvo de muitas injustiças, de conceitos errôneos que reduziram-me a zero e de ter aceitado apenas algumas migalhas de sentimento (de nome indefinido).

Quem sobreviver a esta artilharia realmente será digno de uma medalha entregue pelo Aécio.... ops .... acho que tenho que repensar meus conceitos sobre a importância dessas medalhas....
Aécio tá igual ao Ziza do Atlético.... tá faltando entregar medalha apenas pra "India Aygo" ...kkk

Bração pro cê

Inté Zé!

terça-feira, 20 de maio de 2008

Escrava Isaura era Chiquinho Scarpa!

Zé, to devendo você hein?

Me desculpe, mas a correria tá muita. Tô ganhando nada da FACSAL(pelo contrário, pago!), mas em compensação eles me dão muito trabalho. Faculdade é assim mesmo, você deve ter pensado. Mas não são apenas os trabalhos normais do curso, to fazendo todas as publicidades da instituição e olha que são muuuuitas viu!
Acho que eles criaram essa "agência experimental de comunicação" pra lançar um tipo de "trabalho escravo lícito"! kkk ... Mas, não estou reclamando. Gosto de tudo que estou fazendo.

Consegui uma folguinha no DER/MG este resto de semana para me dedicar a campanha do vestibular 2008 da FACSAL. Sei o que deve estar pensando: "Cuidado rapaz, vai perder o estágio!", mas Zé, o negócio é o seguinte: sou um cara responsável pra caramba em tudo que faço, não enrolo, e o bom do DER é que lá todos ficam o tempo necessário para realizar todas as tarefas, ou seja, o dia que precisar ficar lá até a meia-noite eu fico(como já fiquei), mas o dia que não tiver nada pra fazer posso ir embora às 16h, understand?

Assim trabalha-se muito melhor.

Putz Zé! Eu não tô tendo tempo de nada por causa do trabalho, quando arrumo um tempinho e venho prosear com você, falo só sobre trabalho? "Ah, faça-me o favor." rsrsrs

Um grande abraço, a um metro de distância! kkk
Inté Zé!



kkkkk

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Mudanças. De quem é a culpa?


Zezão, tudo em riba?

Sou uma pessoa diferente. Todos somos, mas eu mudei muito em pouco tempo. A pessoa sensível, romântica que existia, hoje se tornou alguém franco, direto sem medo de perder. Sabe Zé, a gente se decepciona muito na vida, não com as outras pessoas, mas, com a gente mesmo. Criamos a imagem das pessoas de acordo com nossas vontades e interpretações próprias. Rotulamos a todos de acordo com o que observamos e com o que aprendemos a interpretar das ações alheias.
Ex.: O que você, Zé, é pra mim, nunca será o que realmente você é, pois eu o vejo com a minha forma de apreensão, minha visão de mundo, meu contexto.
A paixão é um exemplo bom. Se você se apaixona, não enxerga os defeitos da outra pessoa, ou não se incomoda tanto, da mesma maneira que, se não tivesse nenhum interesse por esta pessoa, certamente os enxergaria mais facilmente.
Me decepcionei muito na vida com a imagem das pessoas que criava dentro de mim. Não é culpa delas, de forma nenhuma! A culpa é minha de me esquecer que todos somos humanos, logo somos complexos e amplos de possibilidades (Vide postagem "Complexidade humana - Heróis e vilões").

SMS´s a parte, tudo de bom pra você!

Inté Zé!

sábado, 12 de abril de 2008

Complexidade humana - Heróis e Vilões.


"Nem vilão, nem herói. Humano. Profundamente humano. No sentido de pertencer à humanidade. Forjado do numa estrutura viciada e deformante, vítima de si mesmo, do processo de reificação que alimenta e do qual não pode também se esquivar."
Graciliano Ramos.






Zé, tudo jóia?

Eu tô bem sim. O que achou do texto acima? Eu simplesmente o acho perfeito!

Ninguém é só vilão, só herói, só bandido, só mocinho. O ser humano é muito mais complexo do que uma simples definição conceitual.
Nossa tendência de rotular a todos, acabamos por menosprezar quem definimos e até mesmo a nossa própria raça.

Você não pode se esquivar, completamente, de toda a sociedade e de suas influências. Tudo que você sabe e pensa é sempre amarrado a algum marco teórico, ou seja, a alguma teoria explicativa consagrada e considerada compatível com seu eu interior.

Seus pais, seus amiguinhos de infância, seus colegas de trabalho, seus vizinhos, o que vê na TV... Tudo te forma, te faz ser quem você é hoje. Você é um misto de tudo que há no mundo de bom e de ruim.

Ser este "amarrado" de humanidade é o que te torna único. Ninguém conseguirá fazer um novo você! A receita é única, exclusiva. Fique feliz por ser você e se permitar acertar e errar, mas nunca se acomode nos seus erros, lute. "A sorte sorri aos fortes." Terêncio

Além de se conhecer, se permitir humano, passível de errar, permita a seu próximo ser o que é. Seja compreensível. Se ligue a quem combine com você, mas não despreze os antagonistas pois eles podem te oferecer o que você não tem, pois ao passar do tempo, verá que conseguiu mais alguns ingredientes que o tornarão ainda mais especial-----> HUMANO!

Um grande abraço...

Inté Zé!

segunda-feira, 31 de março de 2008

Remo e "muque" !




"Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára(...)"
(Canção: Paciência - Compositores: Lenine e Dudu Falcão)


Zé, boa noite meu querido!

Me forcei a dar uma paradinha nessa Roda viva que é o cotidiano que tenta dilacerar a nossa racionalidade, tentando nos robotizar, para prosear um pouquinho com você. Como anda a vida?
Rapaz, eu tô na batalha... é todo dia: Faculdade - Abastecimento - Enlatado - Trabalho - Enlatado - Cama... mas não posso reclamar, tem tanta gente que queria estar no meu lugar! Ahhh, mas posso reclamar um "tiquim" sim, posso não? rsrs... Se eu não o fizer, não honrarei minha raiz tupiniquim... rsrs

É um vencedor quem consegue algum tipo de abstração hoje em dia. A mencionada anteriormente "Roda viva" dilacera toda e qualquer tentativa de nadar contra a maré da vida moderna.
"Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come." (Desisti de repelir estas benditas frases feitas... elas me perseguem...rs)
Eu tento abrir caminho dentre este fluxo, às vezes consigo, muitas não, mas não desisto jamais. Eu quero mais do que existir em meio a multidão, e você Zé?
Você se contenta em apenas esperar o dia do seu fim?
Se alegra em apenas passar os seus dias como um mero espectador de um filme, comendo suas pipocas lambrecadas de manteiga?

Nem tanto a Cazuza, nem tanto a Padre Antonio Maria. O equilíbrio é essencial, mas se desiquilibrar é sempre bom, é o sazon da salada da vida. Experimente!

Sabe Zé, papear com você é um dos meus êxitos na luta contra essa correnteza. Espero, despretenciosamente, que em algum momento na leitura deste blog, tenha parado um pouco, para refletir sobre os assuntos abordados aqui. Acima de tudo Zé, espero que tenha conseguido se descobrir um "tiquitim" mais, que tenha olhado pra dentro de si mesmo e em meio a toda essa gente embalada pela rotina rumo ao despenhadeiro que tenha se animado a continhar guerriando nesta batalha que é árdua, mas é essencial para a nossa vitória pessoal.

Grande abraço!

Inté Zé!

domingo, 23 de março de 2008

Eu fico puto!!!

Zé, e aí tudo certo?
Sim? Ahh, que bom companheiro... (Alvim pra Presidente, 2010! kkk)

Eu tô na lida! Nem lá nem cá, quase um torcedor do América, sabe? kkk
Eu sempre digo que é melhor ser extremista e se arriscar a poder viver picos de felicidade e de tristezas, em detrimento a monotonia, mas quem disse que tô seguindo isso?
Tô literalmente môrno, com ou sem circunflexo, tanto faz.

Vander Lee disse:

"(...)Oh meu Pai dá-me o direito
de dizer coisas sem sentido,
de não ter que ser perfeito,
pretérito, sujeito, artigo definido(...)"
(Canção Alma Nua - Autoria, o próprio).

Obrigado Vander!!!! Tirou um peso enorme das minhas costas! kkk

Eu não sigo o que digo e fico puto por isso! kkk
Queria ser exatamente como eu aconselho aos outros que sejam, pois é o que eu queria ser de verdade.

Lembra daquele velho conselho? "Só deseje aos outros o que deseja pra você"
A frase não me recordo se era exatamente assim, mas você entendeu né? rsrs

Voltando a história de "ficar puto!"...rsrs Veja o vídeo a seguir, realmente é muito bom, é hilário!
Quem nunca se sentiu puto da vida? Ainda mais, com tantos motivos quanto ele...

Confira!

video
Trecho DVD: Terça Insana


kkkkkkkkkkkkkk

Boa semana prô cê!!!! Aproveite, lexotan tá em liquidação!!!

Inté Zé!

segunda-feira, 17 de março de 2008

"Mundo muderno"


A evolução da tecnologia trouxe muitos avanços para a sociedade, mas também destruiu coisas importantíssimas nas relações pessoais. Aonde eu trabalho, por exemplo, as pessoas ficam em frente ao computador o dia inteiro, ora trabalhando, ora "acelerando" os minutos para o fim do expediente.
Tem algumas pessoas que, além de trabalhar o dia todo no computador, chegam em casa, e vão direto para o seu PC se "divertir". Essa realidade não é só no meu trabalho não Zé! Se você não vive deste jeito, com certeza conhece alguém que é assim.

Mesmo eu, que tenho muitas destas "ferramentas" (Messenger, Orkut, Blog , etc), tendo apenas 24 anos de idade, descobri que sou "antigo" (e olha que a internet se tornou disponível a todos no Brasil, apenas na metade da década de 90), ou seja, pelo motivo de eu preferir contatos mais próximos da realidade possível sou quase uma múmia. rs

Deixa eu te contar um "causo" interessante:

Certo dia, "papeando" com uma pessoa no messenger, resolvo, depois de algum tempo de conversa, pedir o telefone para a pessoa em questão, não é que, para meu espanto, ela me disse, resumidamente: "Telefone? Vamos esperar mais um tempo, para que nos conheçamos melhor..."
Aff... Esperar um tempo, para nos conhecermos melhor pela internet?
Mas, o melhor para se conhecer não é se conhecer? kkk
E olha que eu apenas "apelei" para um outro meio de comunicação, nem marquei, o que seria o óbvio, que era de se conhecer pessoalmente.

Pela internet nós somos apenas o que dizemos que somos. Confusa a minha frase?
Olha, se eu te falar que tenho um metro e noventa de altura, loiro, olhos verdes e corpo de nadador?
E se eu disser que tenho todas as qualidades que a outra pessoa procura, mediante o que sei através do senso comum?
Tem muita gente que sabe argumentar bem , ou seja, que consegue sustentar algumas mentiras por um longo tempo... tempo suficiente para conseguir o que deseja.

O avanço da tecnologia é algo "imparável" (gostou da palavra? tenho uma parceria, muito bem sucedida e há anos com o Aurélio...rs), nem é bom para a sociedade que isso pare, mas devemos repensar as relações que estão sendo "construídas" atualmente, seja qual for o tipo de relação(amizade, amor...).
Que o medo seja substituído pela coragem, pois quem não se arrisca na vida, realmente terá menos chances de se esburrachar num buraco, mas nunca alcançará a felicidade de quem vai com a "cara e a coragem" atrás daquilo que almeja.
Resumindo: "Quem não arrisca, não petisca!"

Eu e minhas temíveis e insistentes frases feitas... rs

Abração prô cê...

Inté Zé!


sexta-feira, 14 de março de 2008

Quando Chove...

"Não tenho vinte e poucos anos,
Mas trago um cara muito novo em mim
Sou feito de perdas e danos
Me contradigo, me surpreendo no fim
Às vezes durmo vendo estrelas
Às vezes vou na contramão
Às vezes sou beleza rara
Às vezes dor e solidão
Mas esse cara que me move
Sabe o lugar que me convém
Me tranca em casa quando chove
E um samba triste logo vem
Da batucada faço um manto
Da poesia o meu altar
Cantar é o lugar mais santo
Onde o poeta vem deitar
Por isso vim me apresentar
E pedir a sua benção, meu senhor
Eu vim aqui pra fazer festa
Eu vim brincar de ser cantor"
(Canção: Quando Chove, Compositor: Vander Lee)




Solidão não é sinônimo de tristeza. Pode ser companheira, aliada ou apenas uma pausa para reflexão.
Estar só é ter um momento de poder dialogar consigo mesmo. Algumas pessoas não gostam, pois não se sentem felizes estando só, talvez por que olhar pra dentro de si mesmas seja uma tarefa muito difícil, árdua. Ver defeitos em si próprio é difícil, dá uma sensação de inutilidade, mas é necessária essa reavaliação.

Sou complexo, mas dentro desta complexidade não é muito difícil me entender. Sou verdadeiro, falo o que penso sem medo de não agradar. Sabe aquela frase dita por Médici: "Brasil, ame-o ou deixe-o", pois é, Alvim é quase isso. Que ditadura hein Zé? rsrs
Mais precisamente eu diria: "Alvim, ame-o ou odeio-o". Algumas pessoas transitam por estas duas vertentes muito "facilmente". Ora morrem de amores por mim, ora não suporta nem ouvir falar no meu nome.
Gosto de entender tudo o que se passa no mundo das pessoas, de entendê-las e de ajudá-las (utopia hein Zé?). Meu maior defeito é invadir o mundo das pessoas. Quando não as entendo, me perco.
Mesmo não preocupado em agradar, odeio ser mal interpretado, até pelos inimigos.
"Inimigos" ! Luto até o último instante para não tê-los, mas algumas pessoas conseguem essa proeza. A Idiotice é também uma das minhas grandes "qualidades". Continuo acreditando nas pessoas, mesmo tropeçando nas pedras jogadas por elas mesmas para que eu caia.

Sabe, inocentemente acredito que todos são bons, fazem boas coisas e que, quando não as fazem, é porque estão enfrentando algum problema. Acredito que vilões estão só nos gibis, mas um dia, numa conversa com minha ex-sogra, ela me disse, resumidamente, que tem pessoas más também na vida real. Tenho quase certeza que se ela ler esta postagem, não se lembrará desta conversa, mas eu me lembro, fiquei pensando dias nisto. As conversas com ela eram muito proveitosas, espero que ela saiba da importância que teve para mim.

"Como sobreviver em festas e recepções com buffet escasso?" É o nome de uma peça do comediante Carlos Nunes, muito boa por sinal, duas horas de muitas risadas, mas a minha pergunta é outra: "Como sobreviver num mundo onde a sinceridade é escassa?".

Zé, acho tosca a minha paródia? rsrsrs

Me ame ou me deixe, a escolha é sua!!!

Inté Zé!!

domingo, 9 de março de 2008

The end!


Sr. Zé, tudo bem?

Eu tô indo, aos trancos e barrancos, mas tudo em "riba"!

Ontem, nós do Coral Ciminas, abrimos o Show do Cantor Lô Borges, no 7 º Festival de Verão de Pedro Leopoldo, hoje abriremos o do cantor Guilherme Arantes.

A sete anos atrás, em Fevereiro de 2001, fui fazer um teste para entrar num coral em Pedro Leopoldo. Era uma tarefa na qual eu não acreditava muito que teria êxito, imagina, eu que antes havia cantado apenas num coral de igreja e no "banheiro" entrar para o Coral Ciminas? mas consegui entrar. Desde esse dia eu nunca mais fui o mesmo. Cresci como pessoa e como músico. Conheci pessoas que se tornaram minha segunda família.
Amizades, amores, colegas, brigas, brincadeiras, empolgação, frustração...
Coral Ciminas englobou isso e muito mais.

Ver teatros cheios, platéias entusiasmadas reverenciando todo um árduo trabalho foi muito gratificante, mas o melhor de tudo foram as relações que lá foram construídas: Marilene, Alexandre, Harllen, André Santos, André Chamon, Mariana, Jamille, Lucas, Caroline, Ana Carolina, Emerson, Robson, Dú, Paulo, Graciele, Zirlene, Vívian, Marinho, Ítalo, Wellington, Camila, Rodrigo, Anderson, Fabrícia, Vanessa, Gizele, Varginha, Cláudio Trompete, Ernani Malleta, Tarcísio Homem, Robson Bateirista, Aline do violão, Emília Percussionista, Tuanny, Melina, Vanina... (os outros que não me recordei agora, colocarei a medida que lembrar...).

Quem vai se esquecer da célebre temporada "Coral Ciminas canta Chico Buarque"? Lanagro e Teatro Isabela Hendrix LOTADOS! A viagem para Conselheiro Lafaiete(rsrs), o palco da Quinta do Sumidouro, o "jantar" no Clube da Ciminas. E os Sítios?
E "Coral Ciminas canta Minas"? "Café com pão, café com pão, café com pão... Piuí! ". rs.
Nos 10 anos de Coral Ciminas, as "Dez mais", "A Noiva do Condutor" de Noel Rosa. E as oficinas de aperfeiçoamente: "Foto número 1, foto 2!"... rsrs

Notou um "tom de despedida"? Pois é, hoje será a "Saideira", sem "Bis". Os aplausos de hoje serão os útlimos. Os bastidores, o nervosismo antes de entrar no palco, as broncas da Marilene, as brincadeiras fora de hora, tudo isso termina hoje.

O que motivou este fim? Muitos são os motivos, é melhor deixar prá lá...

O que nunca poderá se "deixar pra lá" foram todas as alegrias que tive nestes 7 anos, o olhar do público, ora alegre, ora tenso, ora entusiasmado, ora emocionado e os aplausos...

Obrigado Coral Ciminas, obrigado minha família, eu e todo seu público sentiremos muitas saudades!

CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP!
CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP!

Inté Zé!

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Se eles tem três carros, eu posso voar...


Zé, tudo bem com você?
Comigo tudo bem sim, melhorando para ser mais sincero...

Sabe, eu observo muito tudo que há em minha volta e hoje o que quero abordar aqui é o interesse. "Tudo gira em torno de interesses." Não, não se preocupe, não falarei novamente em frases feitas, pois esse assunto, aqui no blog, tá cansando já, né? rsrs
"Amizades", "amor", "afeto", tudo é interesse. Para o Senso Comum dizer "interesse" tem tom pejorativo, mas nem sempre é assim. Você ama? Então você se interessa em viver ao lado de uma pessoa específica. Enfim, esse exemplo pífio foi somente para mostrar o lado positivo da expressão, pois o que quero abordar mesmo é o interesse ruim.
"A vida profissional gira em torno de contatos." Já ouviu essa? Normalmente a ouvimos quando alguém nos aconselha a buscar amizades de relevância para se conquistar algo. Êta falsidade hein? rsrs ...mas é comum, não é?
Tem gente que se contenta com tão pouco que chega a ser ridículo. Tem algumas mulheres que o importante é quantas cilindradas tem o "visado". Para ficar ainda mais claro: O CARRO do sujeito! Em um país de extremas dificuldades financeiras, o povo se ajeita como pode né? rsrs

Nesta postagem não vim tentar explicar nada, apenas "jogar esse assunto no ventilador"...

Bração prô cê

Inté Zé!!!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Tô BBBesta!!!


Fala aí Zé, como anda essa força?

Eu tô bem. Melhorando e caminhando até o próximo buraco!! De buraco em buraco é que construo minha percepção da vida. Aliás, se a percepção da vida fosse medida apenas pela quantidade de buracos eu seria um expert no que se trata a vida, superando Luis Gasparetto, Antonio Roberto, Xuxa e Pedro Bial!! kkkkkk

Em se falando de Pedro Bial, você tem visto o BBB? Eu tenho. Você acredita nisso? Pois é, mas minha desculpa é que "estou vendo com o olhar de um estudante em Comunicação Social"... rsrs

Sempre achei uma tremenda bobagem esse negócio de Reality Show, ou melhor, não vou mentir, até que a "Casa dos Artistas Emergentes" do Senor Abravanel eu gostava! Minha grande birra mesmo era com o BBB (Big Bobagem Brasileira).

Você já esteve de molho muitos dias em casa vitimado por alguma doença? Já ficou desempregado por um tempo? Já reparou como pequenas coisas que nem dávamos atenção tornaram-se maiores?

O confinamento, pelo motivo que for, nos torna mais sensíveis, reduz o nosso horizonte a apenas aquele "pedaço de mundo" que vemos. Mas, pense bem, quando você ficou de molho tinha TV, DVD, Telefone, caneta papel, dava pra estravasar um pouco, e os que ficam enjaulados lá no PROJAC sem nenhum destes recursos, tendo apenas a figura de seus companheiros de jaula? Apesar do tentador prêmio de 1 milhão de reais, apesar das mulheres bonitas, apesar da piscina e de algumas regalias, a situação é difícil!!

Assistir ao BBB pra mim é como ver aquelas experiências com ratos numa redoma de vidro. Os cientistas submetem os roedores a diversas situações para que os mesmos possam observar suas reações. Mas, coitadinhos dos ratos, o único prêmio que eles ganham é a comida e depois a morte...

Zé, por hoje chega de papo, né?

Abração prô cê

Inté Zé!!!!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Frases feitas de vida!



E aí Zé, tudo em cima? (Nada de duplo sentido, por favor! rs)

"A vida é feita de ciclos."

Tantas frases feitas permeiam nossas vidas. No mundo de hoje, tanta correria, tanta falsidade, mas mesmo assim há momentos em que paramos e são nestes que algumas destas frases nos atacam!!!! rsrs
Não queria, mas me rendo a credibilidade das tais frases feitas.
Não de todas... pois se render totalmente é muuuuito perigoso, mas pelo menos da que citei anteriormente. (Não dou o braço todo a torcer, apenas o "mindinho"...kkk)


Zé, um abração prô cê e nunca se esqueça: "Nada melhor que um dia após o outro".

Fuuiii ... Inté Zé!!!